De esposa fiel à massagista de programa - Real Escritor - frankroludo

HISTÓRIA REAL DE UMA EX-ESPOSA NO NOSSO GRUPO WHATS.
Olá me chamo Viviane, recém separada, tenho 28 anos e tenho uma filha que mora comigo.
Saí do casamento com uma mão na frente e outra atrás, meu ex marido, um vagabundo viciado que sempre dependeu do pai para tudo, acabou torrando o resto de dinheiro que ainda tinha, as brigas e traições foram aumentando até que um dia ele quebrou minha cara e eu resolvi ir embora de casa.
Voltei a morar com minha mãe, mas nunca me acostumei, pois depois que a gente sai de casa e tem o próprio espaço as coisas nunca são como eram antes.
Casei-me nova aos 17 anos, não completei o ensino médio e não precisei trabalhar pois meu marido me sustentava graças ao seu pai, mas depois que ele brigou feio com a própria família e ficar sem falar com ninguém de lá, as coisas foram complicando, ele se afundando em bebida, drogas e gastando tudo que tinha ou ganhava no baralho, até que chegou ao ponto da agressão, onde resolvi sair e ir cuidar da minha vida.
Com a separação meu padrão de vida despencou a única coisa que me restava era um curso de esteticista que havia feito e que inclusive ouvi a promessa de meu marido de que ele um dia montaria uma senhora clínica para mim, tudo mentira!
Devido à natureza do meu ex, meus familiares e até meu advogado disseram que eu saí muito bem do casamento, afinal saí viva e sem vícios.
O problema é que não consegui mais acostumar no baixo padrão de vida, fazíamos viagens, restaurantes, shoppings, e eu e minha filha tínhamos tudo do bom e do melhor portanto quando me mi separada não consegui diminuir meus gastos e logo me vi endividada e foi uma conhecida do salão de beleza que falou da possibilidade de trabalhar como massagista numa clínica num bairro de classe alta.
Ela disse que com minha aparência, eu poderia trabalhar onde ela trabalhava, eu atenderia somente mulheres e cada massagem de 30 minutos me deixaria R$30,00 livre, caso aceitasse fazer massagem em executivos homens eu poderia aumentar meus ganhos pois ficaria com R$50,00 por massagem.
No começo fiquei só com a massagem feminina mesmo e com o passar do tempo via que as roupas, jóias, maquiagens e cabelo das outras massagistas que atendiam executivos eram melhores que as minhas e que essa diferença de R$20,00 de uma massagem para a outra não poderia fazer tanta diferença, diferença o ponto de uma delas andar de ECO SPORT ZERO KM, foi aí que um dia sorrateiramente resolvi espiar a minha amiga Kelly fazendo massagem num homem de uns 36 anos aproximadamente.
Quando fui pela janela que dava para a sala de massagem vi que Kelly de pé chupava o cacete do executivo deitado totalmente nu na maca de massagem, aquilo na hora me assustou, mas excitada, fiquei observando e ele a pegava firmemente pelos cabelos e subia e descia a cabeça dela na direção do seu pau até que tirou e trouxe-a para um beijo de língua de novela e ela mais do que rápida subiu em cima daquele homem e começou a cavalgar, até que vi seu rosto transformar-se e ela começou a fazer caretas e gemer, com certeza deveria ter gozado, ela saiu de cima e começou a chupar novamente até que vi o homem segurar ela pelos cabelos e ficar com o pau em sua boca por uns instantes, com certeza estava gozando na boca de minha amiga de trabalho.
Quando ela levantou e olhou na janela acho que me viu e eu me retirei rapidamente e fiquei aguardando no saguão a minha cliente que já estava até atrasada.
O homem saiu como se nada tivesse acontecido, pagou no caixa e vi quando se despediu de Kelly colocando duas notas de R$100,00 dobradas em suas mãos.
Passou um tempo atendi minha cliente e quando estava na cozinha Kelly chegou e me disse:
- Você viu né Vivi...rs
Eu sem graça por ter sido pega espionando tentei disfarçar:
- Escutei uns gemidos e achei que ele pudesse estar te fazendo algum mal por isso dei a volta e fui lá ver...
- Mal, amiga? Mal eu fico é sem o cacete e sem o dinheiro desse homem, além de eu gozar gostoso cavalgando o cacete dele, ganho uma caixinha sozinha para poder comprar algumas coisas para mim.
- Mas e depois da transa você se sente como amiga?
- Me sinto normal, não estou fazendo mal para ninguém, estou trabalhando e ganhando um dinheiro honesto, e inclusive para fazer o que já faço com meu noivo e de graça todos os finais de semana, com o agravante de que com o traste do meu noivo ainda tenho de gastar dinheiro dividindo conta de cinema e de refeições quando saímos, é uó!
Aquilo me fez parar pra pensar, com meu marido por exemplo, transava sempre que ele queria, fazia comida, lavava a casa, passava a roupa, cuidava de nossa filha, para o canalha ficar jogando carta em boteco, bebendo e usando drogas. Não raro ele chegava muito louco, me xingava, mal olhava para nossa filha e ainda ia pra cama deitar todo fedorento, passávamos semanas sem transar, nem depilação eu fazia. Quando nos separamos sai com uma mão na frente e outra atrás e com uma menina pequena para criar sendo que o filha da puta não dava um tostão nem para mim nem para a pequena, definitivamente aquilo não era justo.
Aquela conversa mudou minha visão de vida, eu estava decidida a ganhar mais, a me virar e dali por diante faria massagem masculina e foda-se o mundo!
Meus primeiros clientes eram tímidos e acho que por ser a primeira massagem comigo não arriscavam, até porque a clínica era correta e séria, as massagistas que eram safadas e se aproveitam para ganhar um troco a mais dos homens.
Até que certo dia conheci Orlando, boa pinta, empresário, 38 anos e logo de cara já ficou nu de costas para mim e se deitou na maca, tinha um corpo esbelto o que já me despertou a cobiça e assim comecei a massagem nele de costas, fazendo um relaxamento total em suas costas, ombros, nuca, massageei sua bunda, coxas, panturrilha e pés, foi quando chegou o momento inevitável de pedir para ele se virar, quando ele virou seu pau estava muito duro, em pé, não conseguia desviar o olhar, era um pau rosado com uma cabeça brilhante de tão dura, com certeza era maior e mais grosso do que o pau do Júnior meu ex-marido, que tinha um pau escuro, peludo, fedorento, sujo e seboso que dificilmente me inspirava a chupar, na mesma hora salivei e fiquei de água na boca para chupar aquele cacete lindo, mas me contive.
Comecei a massagem pelo seu peito, pescoço, ombros, braços, barriga e fui descendo, depois pulei para seus pés e vim subindo, pela canela, coxas, virilha e fiquei ali finalizando na região da pélvis e de olho naquele cacete duro que parecia me olhar, parecia me hipnotizar e foi quando para minha surpresa olhei para Orlando e percebi que ele estava de olho aberto me olhando nos olhos e sorriu, eu sorri também mas confesso que fiquei meio envergonhada e continuei a massagem pelo interior de suas coxas e percebia seu pau latejar de tesão.
Sem querer esbarrei em suas bolas que eram rosadas e lisas e foi quando ele soltou um gemido de prazer como se fosse um indicativo que era ali que ele queria, esbarrei mais demoradamente com as costas das mãos mais uma vez e na terceira esbarrada senti uma mão me pegando pelos cabelos da nuca e direcionando minha boca para seu pau.
Eu nem disse nada, obedeci que nem uma cadelinha obdece seu dono, queria aquele cacete na minha boca o quanto antes, estava faminta para chupar um pau limpo, de pelos aparados e bonito como aquele e não o pau sujo e fedorento como de meu ex-marido que me deixara até traumatizada, aquilo sim era pau de verdade e sem pensar em mais nada cai de boca.
Estava com um vestido tubinho branco coladinho, parecia uma putinha mesmo ele foi enfiando a mão por dentro de minhas coxas ate atingir minha xoxotinha, que estava alagada e quando senti seu toque estremeci de tesão e desejo e sem pensar em mais nada subi o vestido puxei minha calcinha de lado e fiz igual Kelly minha amiga e fui cavalgar o cacete duro e rosado de Orlando.
Quando senti ele entrando em mim, senti ele alargando minha xoxota, parecia aqueles cacetes de filme pornô e nisso subi e desci poucos instantes nele, galopando o cavalinho e quando dei por mim gozei feito uma cachoeira em seu pau como nunca gozei antes, minha boceta dava espasmos em seu pau de tal forma que parecia querer engoli-lo e com as mastigadas levadas no caralho Orlando gozou esporrando tudo no interior de minha bocetinha, parecia um porco de tanto leite de macho que havia depositado dentro de mim.
Rapidamente saí de cima peguei um pano com agua e sabão limpei-o deixando-o pronto para o restante de trabalho do dia.
Antes de sair da sala ele me deixou R$200,00 e me disse que indicaria outros amigos para fazer massagem comigo e que eu melhoraria de padrão de vida rapidamente pois levava 'jeito pra coisa'.
E desde então faço discretamente meus programas nas massagens masculinas que realizo por aí, sem prejudicar ninguém e muito menos minha honra e dignidade, tenho meu carro e atendo em domicílio, escritórios, hotéis e motéis, confesso que prefiro os casados pois além de me dar um tesão maior por saber que aquele macho tem dona, eles são mais carinhosos depois da transa, mais animais enquanto metem e não são miseráveis na hora de pagar pelos meus serviços.
Meu ex-marido depois de passar por várias clínicas de recuperação sem sucesso, infelizmente virou morador de rua por culpa própria enquanto eu crio sozinha minha filha, lhe pagando escola particular, convênio e lhe dando tudo do bom e do melhor e não me arrependo nem um pouco do que faço.
OBRIGADO FRANK E CASAIS DO GRUPO WHATS PELO APOIO E AMIZADE.
ATÉ A PRÓXIMA.

Comentários

Postagens mais visitadas