COMO MEU TIO ROLUDO E COMEDOR COMEU MINHA ESPOSA NOVINHA E RABUDA 4º Autor: Super_Canalha

             Numa terça feira ao retornar do trabalho com meu tio, sofremos um acidente de transito, onde o meu lado recebeu todo o impacto da batida, quebrei a perna e duas costelas, já meu tio só teve uns arranhões, o medico me atendeu bem e me deu 15 dias de atestado e repouso absoluto, ao voltarmos, Aninha ficou muito preocupada comigo e perguntou o que havia acontecido, passadas as explicações, ela disse que ia cuidar de mim como só uma esposa cuida, eu sorri, ela agradeceu meu tio e o abraçou, mesmo com o susto, ele não esqueceu de apertar a bunda dela naquele shortinho de lycra.
Eu ainda não sabia, mas havia acabado de dar a tão esperada oportunidade que meu tio queria de encaçapar minha mulher, quarta foi muito normal com Aninha todo tempo cuidando de mim e fazendo tudo, comidinha, me dando banho e na quinta a mesma coisa, na sexta na parte da noite, meu tio foi lá em casa, saber se eu estava melhor e ficamos lá conversando nos três em meu quarto.
Aninha perguntou se ele podia ajuda-la a me banhar, ele disse que sim claro, mas ela advertiu que ele teria de entrar comigo no Box e disse que seria melhor tirar as roupas e ficar apenas de cuecas, ele disse que não tinha problema e que por ele ficaria ate nu, uma vez que já tínhamos visto tudo que havia para ver, então Aninha retirou minhas roupas me deixando nu e depois ficou só de calcinha, meu tio retirou as roupas dele e tirou a cueca junto expondo sua rolona para minha mulher em estado meia-bomba, em seguida me levantou por um lado e Ana pelo outro, fui carregado ate o banheiro e nesse percurso meu tio observava as tetas durinhas de minha mulher, que por sua vez observava a piroca do meu tio, após passarem sabonete em mim e me molharem bastante, meu tio percebeu que já estava bem molhado e pediu para tomar banho, Ana achou natural e disse que ia tomar também, me colocaram sentado no aparelho depois meu tio começou a se banhar, dizendo para minha mulher que a água estava ótima, ela disse que ia só tirar a calcinha e ia, ao ver minha Aninha terminar de despir-se fiquei animado, o pau do meu tio terminou de se inflar, mostrando toda a extensão de sua dureza, o que fez Ana sorrir de forma contida e safada, logo ambos estavam em baixo do chuveiro, seus corpos nus tão próximos e agora meu tio segurava a cintura de Ana com a mão direita, fazendo a cabeça de seu monstro, encostar-se do doce priquito de minha mulherzinha, tudo aquilo havia me deixado elétrico.
Pude nesta ocasião ver meu tio ensaboar os seios de minha amada em quanto ela passava sabonete em toda extensão do caralho gigante que ele possui, logo vi também ele enfiar um dos dedos no cuzinho de Aninha, que olhava para ele com uma expressão de desejo por toda sua face, e ele apertava o biquinho do peitinho dela com a outra mão, foi nesse momento que deram um selinho e riram se dando conta da minha presença, o que os fez de certa forma encerrar seu banho ousado, de forma abrupta.
Meu tio e minha mulher me puseram na cama, ele se vestiu e ela pôs uma toalha, mas antes de ir embora ele falou que no sábado ia ter uma festa funk e era no mesmo local onde fomos dançar forro, é que aos sábados lá é do funk e perguntou se eu deixaria Aninha ir com ele, para ele não ir sozinho, perguntando também a Aninha se gostaria de ir, ao que ela respondeu que não podia, pois tinha de ficar tomando conta de mim, eu disse que por mim tudo bem e que ela também devia sair e se divertir e que eu podia passar algumas horas sem ela.
Ela me perguntou se eu tinha certeza disso com um olhar inquisidor, eu confirmei então ela sorriu para o meu tio e disse que iria ao funk com ele, ele sorriu alegre e disse que já ia, ela foi deixa-lo ate a porta, os ouvi rindo no corredor e depois conversando bem baixinho, já não conseguia entender o que diziam, depois ouvi o que pareceu ser o som de chupões e lábios estalando, Ana demorou bastante para voltar, lhe perguntei por que demorou, ela disse que após a saída do meu tio, foi lavar umas louças na pia, eu fiquei meio desconfiado, mas achei melhor não insistir.
No sábado Aninha estava muito serelepe, agitada, foi para o banheiro onde depilou as pernas, a buceta deixando-a careca e lisa como de menina nova, hidratou os cabelos, aparou e pintou as unhas tanto dos pés quanto das mãos, ria o tempo todo, umas 5 horas ela veio ao nosso quarto se arrumar, pôs uma camisa branca levinha e não colocou sutiã, depois uma minissaia azul que ela tem que eu acho que é praticamente um cinto e não uma saia, pois dois dedos da polpa de sua bunda ficam expostos nela e também não pôs calcinha, se emperiquitou um pouco mais com maquiagem e um perfume particularmente delicioso que só de sentir já me da vontade de comê-la de quatro, depois foi preparar uma comida caso eu ficasse com fome.
Quando deu umas seis e meia meu tio chegou, ele estava num estilo largadão com uma camisa preta e um short jeans meio folgado com a braguilha de velcro e pelo volume parecia também não estar usando cuecas, perguntou se me sentia melhor e respondi que estava do mesmo jeito, perguntei pelo carro, ele disse que estava na oficina e que estava usando um cedido pela empresa, Aninha disse-me que já estava indo, pois lá começava as sete e me perguntou se eu ficaria bem, lhe confirmei que tudo bem e que sim, então meu tio a pegou pela cintura e disse “vamos gata” ela sorriu e saiu rebolando na frente dele, no caminho ate a porta eles conversavam em tom audível e pude ouvir meu tio dizendo a ela, “nossa minha noiva se produziu toda” ao que ela respondeu “estou pronta pro abate”.
Eu fiquei pensando nisso que ela falou, em como eles estavam vestidos principalmente na ausência de algumas peças e me lembrei de como ambos haviam dançado no forro e agora no funk, e pensei, bastava meu tio por o pau para fora que ele comia minha mulher todinha e ninguém lá ia estranhar, pois além deles saírem como se fosse um casal, o estilo de dança era bem propicio ao coito e tive pensei “É desta noite não passa e minha mulher vai rodar na vara do meu tio”.
Aninha passou a noite fora de casa, eram umas cinco da manha quando ouvi um carro chegar, demorou e nada dela entrar então com algum esforço me levantei e fui ver o que estava acontecendo, o carro da empresa estava estacionado e fui ate a janela da casa do meu tio e pude ouvi-la dizendo “de novo” em tom manhoso, e logo vi a cena mais emocionante e esperada por mim, meu tio estava sentado no sofá pelado e Aninha estava pelada sentada em cima dele, ou melhor, estava sentada no pau dele, que lhe cravava as entranhas só deixando os ovos de fora e os lábios de sua vagina esgarçada, ambos pareciam exaustos, mesmo assim Aninha rebolava em sua pica com muito gosto remexendo e gemendo gostoso chamando meu tio de caralhudo e repetindo “Ai que fome de pica”, meu tio chupava forte suas tetas em quanto lhe comia e dizia que sua buceta era muito apertada e que parecia que nunca tinha comido pica, ao que ela gemia manhosa e respondia que sim que ele estava lhe tirando a virgindade, pois seu caralho lhe rasgava as entranhas e que ao transar com ele, ela estava se sentindo realmente descabaçada e realizada,minutos depois escuto Aninha gemendo forte e meu tio bufando, repetia, “come priquitinho, come a minha porra” e logo um rio de esperma começou a descer da buceta dela pelo pau dele, fiquei atônito, mas logo em seguida muito excitado, meu tio havia comido minha mulher a noite inteira e enchido ela de porra bem ali na minha frente.
Após o gozo meu tio disse, “nossa menina como desejei te comer, que fodão você é, o corninho do meu sobrinho não merece uma mulher como você.” ai Aninha se levantou do colo dele e ao ficar em pé, uma cachoeira de esperma começou a descer de sua buceta e suas coxas ficaram melecadas com rios de porra, no susto ela disse.“ nossa! tio, você gozou legal no meu priquito, estou cheinha de porra” e deu uma risada, ele riu também e disse que seu pau ainda estava sujo de porra e mandou-a limpar, então ela se abaixou e começou a chupar a cabeça depois lambeu a extensão do caralho e chupou os ovos dele, ai emendou dizendo que adorou dar para ele e que também desejou muito isto que estava com muita fome na sua pica, mas que já era de manha e precisava ir, pois havia passado a noite fora de casa e estava cansada de tanto foder, disse também que se continuasse chupando o pau dele, ele ia querer comer ela de novo, e ela também ia querer dar, vi que ela se dirigiu ao banheiro correndo com sua bunda balançando, meu tio olhava extasiado, a porra dele pingando do priquito da minha mulher, então fui para o meu quarto o mais rápido que podia, antes que ela chegasse.
Foi ai que as coisas começaram a ficar divertidas...

Comentários

Postagens mais visitadas